Corte de verba faz Brasil retroceder em pesquisa, inovação e tecnologia

Gerações de pesquisadores e a inteligência brasileira serão prejudicadas

  • 229
  •  
  •  
  •  
  •  

Glauco Arbix comenta, na edição de hoje, o que significa para os pesquisadores brasileiros o corte de verbas da Capes para o ano de 2019.

O Ministério da Fazenda limitou o teto do orçamento da Capes com um corte gigantesco. “Se este teto for mantido”, explica Arbix, “a resposta da Capes vai ser a suspensão do pagamento de todos os bolsistas de mestrado, doutorado, pós-doutorado a partir de agosto de 2019, o que significa mais de 90 mil estudantes e pesquisadores  interrompendo suas pesquisas já contratadas pela Capes”.

Outro problema, apontado pelo professor, é a formação de professores para a educação básica, em que a Capes será obrigada a suspender o pagamento de 105 mil bolsistas, além de outros programas. A indignação de Arbix se reflete no aumento da distância entre o Brasil e os países avançados em relação a ciência, tecnologia e inovação. “Não se trata de privilégios de alguns e sim de formar gerações de pesquisadores, o que sustenta a qualificação e inteligência do nosso País”, ressalta.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Observatório da Inovação.

  • 229
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados