Copa do Mundo é marcada pela diversidade social e étnica

E incorporação de temas relevantes como repulsa ao assédio sexual e ao racismo

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O professor Pedro Dallari reflete sobre a audiência da Copa do Mundo, que aconteceu na Rússia, que foi maior que a do Brasil, em 2014. Para ele é importante celebrar essa festa porque sua grande marca foi a diversidade. “Houve todas as expressões de nacionalismo, já que as torcidas foram em favor dos times de seus países, com grande tendência multiétnica”, afirma.

Outra importante característica, apontada por Dallari, foi a incorporação de temas relevantes de desrespeito à diversidade que estão sendo debatidos no mundo todo como: repúdio ao assédio sexual e ao racismo, queda das grandes potências e o ressurgimento de outras equipes. “É bom lembrar que a mesma França, que tem uma equipe multidiversificada e multiétnica, é pautada por um quadro de extrema direita que defende uma postura de combate à imigração.”

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Globalização e Cidadania.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados