Consequências do hipotireoidismo podem ser confundidas com as da menopausa

Ganho de peso, indisposição e pele seca são alguns dos sintomas comuns que podem confundir os diagnósticos

O Saúde sem Complicações desta semana fala sobre hipotireoidismo com a professora Léa Maria Zanini Maciel, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, médica especialista na área clínica e de pesquisa em doenças relacionadas à glândula tireoide.

A tireoide é uma glândula endócrina que fica na base do pescoço e tem a função de regular o metabolismo e seus hormônios. A professora conta que essa glândula apresenta “grandes síndromes, como o hipotireoidismo, que é a deficiência de hormônio produzido por ela, e o hipertireoidismo, que é o excesso de produção de hormônio, e tem também as doenças nodulares”.

O hipotireoidismo é um problema que pode surgir em diversas fases da vida; se congênito, aparece geralmente ainda quando criança e, em outros casos, acaba se desenvolvendo durante a vida adulta. A pesquisadora conta que o hipotireoidismo tem uma maior predominância entre as mulheres. “Devido às alterações nos níveis hormonais, o indivíduo como um todo pode estar com a saúde comprometida, pois acaba agindo em todos os órgãos, e isso leva a uma alteração metabólica e à piora nos níveis do colesterol.”

Sinais e sintomas do hipotireoidismo – imagem a partir dos subsídios gráficos com licença Creative Commons de atribuição de Mikael Häggström e Nephron via Wikimedia Commons

A professora conta que, devido às características do hipotireoidismo, há uma confusão nos diagnósticos. “É muito comum confundir com o envelhecimento, por exemplo. A queda dos estrogênios na mulher menopausada leva a uma diminuição no dinamismo, a uma pele mais seca, e tudo isso também é característico do hipotireoidismo.”

O programa da Rádio USP é produzido e apresentado pela locutora Mel Vieira, com trabalhos técnicos de Mariovaldo Avelino e Luiz Fontana, e direção de Rosemeire Talamone.

Toda a população está convidada a participar do Saúde sem Complicações, tirando dúvidas sobre saúde ou encaminhando sugestões de assuntos para novas discussões pelo e-mail imprensa.rp@usp.br. Acompanhe pela Rádio USP de Ribeirão Preto, em 107,9 MHz, e na Rádio USP SP em 93,7 Mhz, toda terça-feira, às 13 horas. Também nas duas emissoras, reprise aos domingos a partir das 17 horas.

Ouça acima, na íntegra, o programa Saúde sem Complicações.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.