Como evitar a bolha dos algoritmos na internet?

Comuns em aplicativos e redes sociais, eles podem moldar o conteúdo que visualizamos on-line e influenciar nossa percepção de mundo

  • 53
  •  
  •  
  •  
  •  

Um dos destaques no mundo do entretenimento em 2018 foi a estreia de Bandersnatch, episódio especial da série Black Mirror, da Netflix. A produção atraiu os holofotes especialmente por tratar-se de um filme interativo, no qual o espectador participa da narrativa escolhendo as ações do protagonista.

Foto: Visual Hunt

A trama se passa nos anos 80 e tem como personagem principal o jovem Stefan, programador que busca criar um jogo de videogame baseado num livro pelo qual é fascinado. Acontece que, no meio do processo, o garoto entra em crise, passando a questionar se está mesmo no controle de suas decisões.

Bandersnatch levanta uma série de discussões a respeito de como nos relacionamos com a tecnologia. Uma delas é o debate em torno dos algoritmos, tão comuns em redes sociais, sites e aplicativos que utilizamos todos os dias. Mas você sabe o que é um algoritmo? Marcelo Finger, do Departamento de Ciência da Computação do Instituto de Matemática e Estatística da USP, e Isabel Wittmann, crítica de cinema e doutoranda em Antropologia, falam um pouco sobre como eles funcionam e como podem influenciar o conteúdo que consumimos.

Ouça a matéria no player acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 53
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados