Colunista avalia ameaças do presidente eleito ao desenvolvimento sustentável

Objetivo é estimar o tamanho do retrocesso nos próximos quatro anos

  • 10
  •  
  •  
  •  
  •  

Em sua análise sobre as recentes atitudes do presidente eleito, José Eli da Veiga considera um “despautério” seus sinais ao mundo árabe e à China. Principalmente a intenção de mudar a embaixada brasileira de Tel-Aviv para Jerusalém e a visita a Taiwan. “O mundo árabe e a China já reagem negativamente, e são dois estratégicos mercados para a pauta de exportações do Brasil: minérios e produtos do chamado agronegócio”, lembra o colunista.

Se Paulo Guedes tiver forças para implementar sua agenda liberal, isso poderá resultar numa euforia econômica, ainda que temporária. “Contudo, outro cenário seria a desistência da agenda, diante da resistência política no Congresso, o que poderia gerar um colapso”, avalia. Onyx Lorenzoni e Paulo Guedes estão “batendo cabeças”. Sérgio Moro será um “bom anteparo” às preocupantes propensões do presidente eleito, principalmente quando manifesta em público o seu “misticismo monoteísta”.

Eli da Veiga também renova o convite para o evento Conversa sobre Desreguladores Endócrinos, no Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP, no próximo dia 12 de novembro, a partir das 15 horas. As expositoras serão as médicas Elaine Maria Frade Costa, da Faculdade de Medicina da USP e da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, e Maria Izabel Chiamolera, da Escola Paulista de Medicina da Unifesp. A participação é gratuita e aberta ao público. Evento com transmissão neste link.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Sustentáculos.

  • 10
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados