Colunista analisa crescimento do Judiciário no cenário político

A partir de uma declaração do FHC, Renato Janine destrincha os mecanismos que levaram ao fortalecimento do Poder Judiciário

Em sua coluna desta semana, o professor Renato Janine Ribeiro comenta declaração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que manifestou sua preocupação a respeito de juízes tornarem-se líderes políticos no Brasil. Para o colunista, a declaração de FHC teria sido mais oportuna se tivesse ocorrido tempos atrás, pois, no atual momento, fica muito associada à preocupação do PSDB diante do fato de o presidenciável Joaquim Barbosa, mesmo com tão pouco tempo de visibilidade, ter mais intenções de voto do que qualquer nome que o PSDB possa apresentar.

Ao analisar o episódio mais a fundo, Janine Ribeiro revela que, desde a reeleição de Dilma Rousseff, houve uma queda muito grande do Poder Executivo, que se enfraqueceu muito e perdeu força. A oposição, por sua vez, aproveitou-se para conseguir afastar o PT do governo, o que não conseguira em quatro eleições sucessivas. Sem legitimidade, o governo que substituiu Dilma teve de depender cada vez mais do Congresso Nacional para apoiar seu projeto político. O Legislativo cresceu no vácuo deixado pelo Executivo e, ao crescer com Eduardo Cunha, “ele teve um poder muito grande, mas que não foi usado em nenhum momento da gestão Eduardo Cunha para melhorar a situação do Brasil, ao contrário”.

Ainda segundo Janine Ribeiro, o poder deslocou-se de Dilma para Eduardo Cunha, mas dado o vazio deste, foi recuperado pelo Judiciário, que chegou até mesmo a determinar qual seria o rito do impeachment, uma prerrogativa que cabe ao Congresso decidir. “O próprio STF mostrou-se, como continua se mostrando, muitas vezes, incapaz de dar soluções a crises grandes.” Ouça, no link acima, a íntegra da coluna.

Textos relacionados