Colunista analisa comportamento da mídia nas eleições

Para Carlos Eduardo Lins da Silva, a mídia brasileira precisa ser mais transparente quanto aos candidatos e suas respectivas ideias

  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  

O professor Carlos Eduardo Lins da Silva faz um balanço da cobertura da imprensa sobre as eleições. Para ele, de um modo geral, os principais jornais fizeram uma cobertura com qualidade, sem que esta pendesse para qualquer um dos candidatos de forma enviesada.

No entanto, ele aponta algumas ressalvas. “Enquanto os principais veículos do exterior classificavam corretamente a linha política dos candidatos, a imprensa brasileira suavizava as palavras. “Para mim, uma das missões fundamentais do bom jornalismo é fazer uma taxonomia correta do mundo e, principalmente, da política.”

A falta de clareza foi outro ponto analisado pelo professor. “Enquanto a mídia internacional apontava nas notícias, explicitamente, quando qualquer um dos candidatos estava fazendo uma declaração que não correspondesse aos fatos ou promessas que não poderiam ser cumpridas de maneira ostensivamente claras, os veículos brasileiros se limitaram a ter box, retrancas ou colunas com informações de entidades que checam a veracidade das afirmações dos políticos.”

Como sugestão, Lins da Silva afirma que talvez seja o momento de a mídia brasileira passar a ter um posicionamento mais transparente tanto quanto às ideias quanto aos candidatos de sua preferência, como se faz nos Estados Unidos.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Horizontes do Jornalismo.

  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados