Coleta de dados pessoais na internet fere os direitos humanos

Alberto do Amaral Júnior explicou como o modelo de negócios de gigantes, como Facebook e Google, ameaça o direito à privacidade

Foto: Arte sobre foto de Pixabay-CC

A utilização de dados pessoais obtidos pela internet vem ameaçando os direitos humanos, principalmente o direito à privacidade. De acordo com a Anistia Internacional, o modelo de negócios de gigantes, como o Facebook e o Google, gera uma concentração de poderes sem paralelo sobre o mundo digital.

O professor Alberto do Amaral Júnior, da Faculdade de Direito da USP, explica que o conceito de direito à privacidade é relativamente novo na história da humanidade. Em sociedades anteriores, como na Grécia e Roma antigas, isso não era perceptível. Atualmente, as novas tecnologias estão ameaçando esse direito com a coleta de dados pessoais.

A falta de legislações que protejam a privacidade dos indivíduos ainda é um grande problema. O professor aponta os principais caminhos para uma melhor fiscalização e punição em relação à utilização de dados pessoais.

Confira acima a matéria completa.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.