Clementina de Jesus e o resgate da ancestralidade negra

Segundo Alexino Ferreira, Clementina trouxe para a Música Popular Brasileira o canto das senzalas

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em sua coluna semanal, o professor Ricardo Alexino Ferreira aborda a importância de Clementina de Jesus para a Música Popular Brasileira. Segundo o colunista, a artista trouxe para a MPB “a memória dos cantos dos escravizados, o canto das senzalas. O seu canto traz a ancestralidade, aprendida com a sua mãe e os seus avós, que foram escravizados. O jongo, da tradição Bantu, vem daí”.

Clementina de Jesus morreu em 19 de julho de 1987, aos 86 anos. “Era também chamada de Rainha Quelé. Mas também poderia ser chamada rainha da ancestralidade e rainha do Partido Alto.”

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados