Cirurgia Metabólica é alternativa para controle de diabete tipo 2

Médico afirma que SUS não tem remédio moderno para controlar a doença e garantir um pós-cirúrgico de qualidade

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Desde o mês passado, o Conselho Federal de Medicina reconhece a Cirurgia Metabólica como um tratamento para obesos. Diferente da bariátrica, o procedimento acontece em pessoas com problemas crônicos como diabete tipo 2, a fim de não só promover a perda de peso, como também controlar a doença.

A cirurgia é de risco a longo prazo, uma vez que o paciente precisa de um acompanhamento de cerca de cinco anos por meio de vitaminas, vegetais e estrutura óssea. Em estudo, pessoas foram acompanhadas por esse período e quatro, a cada dez, apresentaram a enfermidade com um nível pior do que o de antes de serem operadas, mesmo tomando remédio.

Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O chefe do Grupo de Obesidade do Hospital das Clínicas (HC) da USP, Márcio Mancini, afirma que a resolução vale para pessoas com o Índice de Massa Corporal  (IMC) mais próximo de 35 e com gordura concentrada no abdôme, que é a mais prejudicial à saúde. Segundo ele, a média estudada para se chegar a essa conclusão foi 34,2. Os indivíduos com o número próximo ou menor do que 30 ainda não foram avaliados para garantir a eficiência e a segurança da cirurgia nessa faixa.

Mancini alerta que o Sistema Único de Saúde (SUS) não possui medicamentos modernos para controlar o diabete tipo 2. Assim, apesar de a rede oferecer o procedimento, o médico orienta que aplicá-lo significa pular etapas, já que o cidadão precisa ter acesso aos remédios de ponta. A Metabólica é uma técnica cara; dessa forma, fornecer fármacos sofisticados significa trazer um tratamento pós-cirúrgico mais qualificado à população.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados