Cientista supera preconceito masculino para estudar simetria

Matemática alemã Emily Noether demonstrou a associação entre simetria e leis de conservação

  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  

A importância do conceito de simetria nas ciências físicas é o assunto do físico Paulo Nussenzveig na coluna Ciência e Cientistas. “Desde os gregos antigos, temos fascínio com figuras geométricas que não mudam quando realizamos alguma operação”, destaca.

“A ideia de simetria pode ser estendida para além de aspectos geométricos. Supondo que podemos aplicar alguma operação a um sistema de interesse, dizemos que há uma simetria quando o sistema permanece o mesmo após a aplicação da operação”, afirma o físico. “Um fato muito interessante foi demonstrado há 100 anos pela matemática alemã Emmy Noether: se um sistema possui alguma simetria, existe uma lei de conservação associada a essa simetria”, relata Nussenzveig.

“Emmy Noether nasceu na Alemanha, em 1882, e foi impedida de cursar matemática na universidade, por ser uma disciplina “para homens. Com muita insistência, ela conseguiu assistir aulas como ouvinte e, com mais insistência, conseguiu obter um diploma de graduação em Nuremberg, em 1903”, conta o físico. “Cientistas célebres como Einstein, Jean Dieudonné e Herman Weyl a descreviam como a mulher mais importante da história da matemática. Hilbert, que a convidou para trabalhar em Göttingen, ficou indignado com o tratamento que ela recebeu.”

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Ciência e Cientistas.

  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados