Ciência da computação ajuda a criar Mapa da Corrupção no Brasil

A ideia de mapear a corrupção surgiu com base em estudos similares, explica o coordenador do projeto

  • 147
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Visual Hunt

Políticos, empresários, doleiros, funcionários públicos e pessoas que se passam por laranjas. São 404 nomes. Entre os principais estão um prefeito, um doleiro, dois banqueiros, um diretor de empresa e um senador. É o que revela o Mapa da Corrupção no Brasil.

Anões do Orçamento, Mensalão, Máfia dos Fiscais, CPI do Banestado são alguns dos 65 escândalos de corrupção ocorridos entre 1987 e 2014 e que serviram de base para pesquisa da USP em São Carlos, que usou a ciência da computação para traçar a rede que interliga os vários esquemas.

O coordenador do estudo, pesquisador do Instituto de Ciências Matemáticas e Computação (ICMC), Luiz Gustavo Andrade Alves, explica que a ideia de mapear a corrupção surgiu com base em outros estudos similares.

O pesquisador aponta a teoria de redes como instrumento eficaz para desestruturar os esquemas de corrupção e afirma que é possível fragmentar a rede e destruir as conectividades. Para Alves, a Lava Jato está desestruturando essa rede, mas só será efetivamente eficaz se houver envolvimento da sociedade. Ouça a entrevista no link acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 147
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados