Campanha nas redes sociais busca conscientizar jovens sobre HPV

Professora da Faculdade de Medicina esclarece que a doença afeta homens e mulheres e deve ser prevenida com vacina

  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
jorusp

O papiloma vírus humano, conhecido popularmente como HPV, atinge 630 milhões de pessoas no mundo inteiro, entre homens e mulheres. No Brasil, estima-se que entre 9 e 10 milhões de brasileiros possuam o vírus. A professora Luisa Lina Villa, do Departamento de Radiologia e Oncologia da Faculdade de Medicina (FM) da USP e chefe do Laboratório de Inovação em Câncer do Centro de Investigação Translacional em Oncologia (Icesp), falou sobre a importância da vacinação.

Papiloma vírus humano, o HPV – Foto: Domínio público via Wikimedia Commons

O HPV está relacionado a 100% dos casos de câncer no colo do útero. Por esse motivo, desde o início dos estudos sobre o vírus, esse tipo de câncer, que afeta apenas mulheres, sempre esteve em evidência. Entretanto, a professora Luisa Lina destaca que o HPV também atinge os homens. O vírus pode causar câncer de canal anal em ambos os sexos, câncer de garganta e orofaringe, que afeta principalmente homens, além de câncer no pênis.

A campanha #TragoVerdadesDoHPV busca conscientizar o público-alvo, que são os adolescentes. É uma linguagem informal, mas didática. A hashtag, que está sendo utilizada nas redes sociais, traz informações relevantes, como o dado de que 10% das mulheres saudáveis possuem o vírus na região genital, podendo assim transmiti-lo. A vacinação é gratuita e está disponível em todos os postos. É recomendada para meninas de 9 a 15 anos e meninos de 11 a 15 anos.

Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados