Campanha de vacinação contra febre amarela é prorrogada

Baixa adesão à vacinação pode ter sido causada por medo da reação, segundo Helena Sato, diretora de Imunização

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A campanha de vacinação da febre amarela, que teve início no dia 25 de janeiro, foi prorrogada até o dia 2 de março. A única forma de prevenir a doença é tomando a vacina. No último balanço, divulgado no dia 17 de fevereiro, haviam sido registrados 202 casos e 79 mortes em todo o Estado.

Em entrevista à Rádio USP, a doutora Helena Sato, diretora de Imunização da Secretaria do Estado de São Paulo, explicou o porquê da prorrogação da vacinação, que ocorreu por conta da baixa adesão à vacina. Segundo a médica, o principal motivo para que apenas 30% do público-alvo tenha sido vacinado foi o medo da população acerca de uma possível reação provocada pelo medicamento.

A especialista garantiu ainda que a dose fracionada é tão segura quanto a integral.

Ouça a íntegra da entrevista no link acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados