Caminhar, correr, nadar e remar minimizam os efeitos do Alzheimer

A atividade física melhora a função cognitiva e ajuda na proteção das células cerebrais

  • 223
  •  
  • 4
  •  
  •  

Cada vez mais pesquisas comprovam que a atividade física pode prevenir o Alzheimer, uma doença neurodegenerativa que causa perda acentuada de células cerebrais e gera incapacidade de trabalho e dificuldade nas relações sociais. Dados mostram que a atividade física é capaz de melhorar a função cognitiva, sim, e interferir no metabolismo de substâncias que ajudam na proteção e regeneração das células cerebrais.

Ouça, na íntegra, a coluna Corpo e Movimento, clicando no áudio acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 223
  •  
  • 4
  •  
  •  

Textos relacionados