Cálculos biliares geram dores intensas

A vesicular biliar é a responsável pelo armazenamento da bile, substância que colabora para a degradação das gorduras e dos lipídios

Montagem sobre ilustrações de Freepik – CC

O professor Luis Fernando Tirapelli apresenta, no primeiro boletim do Anatomia Responde desta semana, o tema vesícula biliar e cálculos biliares. “Em sua anatomia, a vesícula apresenta um formato semelhante a uma pêra, podendo medir entre sete e dez centímetros”.

A vesícula biliar fica no abdômen, na parte superior direita, na parte de baixo do fígado, tendo uma de suas partes no duodeno do colo transverso do intestino grosso. Tirapelli conta que o fígado produz a bile o dia todo, “mas que somente é necessária para a degradação da gordura e dos lipídios no intestino após às refeições”.

O professor conta que, entre as refeições, a bile fica armazenada na vesícula biliar e “a secreção só é ativada pela presença de alimentos no intestino, ou de forma psicológica pela lembrança de alimentos”.

Tirapelli lembra que, devido aos cálculos biliares, o organismo pode sofrer com os espasmos e as contrações da parede da vesícula biliar, “isso acontece porque o corpo tenta se livrar dos cálculos pela via natural, isto é, através de ductos estreitos até o intestino, e aqueles, em alguns casos, acabam ficando presos, gerando assim muita dor, acompanhada de sudorese, náuseas e vômitos”.

Ouça na íntegra o boletim do Anatomia Responde.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •