Buraco negro colide com estrela de nêutrons e gera ondas gravitacionais

Detecção de ondas gravitacionais entusiasma cientistas por ter origem em fenômeno até então nunca registrado pelos observatórios

Previstas em 1916 por Albert Einstein com base em sua teoria da relatividade geral, as ondas gravitacionais transportam energia na forma de radiação gravitacional e já podem ser identificadas quando emitidas em eventos extremamente energéticos, como colisão de grandes objetos cósmicos.

No dia 14 de agosto, mais uma onda gravitacional foi detectada ao mesmo tempo pelo Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory (Ligo), nos EUA, e pelo observatório Virgo, na Itália. A novidade é que, pelas análises, a onda é resultado de uma colisão entre um buraco negro e uma estrela de nêutrons. Este é o terceiro tipo de evento em que foram detectadas ondas gravitacionais, desde a primeira ocorrência, em 2015, com origem na fusão de dois buracos negros.

Nesta edição de Entender Estrelas, o professor João Steiner explica a importância dessa descoberta para o avanço no conhecimento do Universo.

Ouça clicando no player acima.


Entender as Estrelas – Uma viagem pela astronomia
A coluna Entender as Estrelas – Uma viagem pela astronomia, com o professor João Steiner, vai ao ar toda sexta-feira às 9h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 217
  •  
  •  
  •  
  •