Brincadeira de criança ajuda no desenvolvimento motor

Profissionais do esporte que trabalham com jovens atletas não devem limitar os treinos às modalidades esportivas, diz professor

 

Nesta semana, o professor Paulo Roberto Santiago fala sobre a importância das brincadeiras na infância para a formação dos atletas do futuro. Mesmo tendo poucos estudos sobre a temática, o professor usa como base o livro Futebol: Aspectos Multidisciplinares para o Ensino e Treinamento, trabalho realizado por ele em conjunto com outros profissionais.

Santiago explica que “a brincadeira tem o fator da imprevisibilidade – a criança quando está brincando cria atividades, dita regras e consegue, dentro da brincadeira, desenvolver uma série de exercícios”. O professor ressalta aos profissionais do esporte que, ao trabalhar com jovens atletas, os treinos não devem ser limitados apenas às modalidades esportivas. “As brincadeiras contribuem para um melhor desenvolvimento motor na infância.”

Com o passar dos anos, diz o professor, as crianças começaram a brincar menos e, por conta disso, é necessário retroceder, ou seja, criar espaços como sítios e fazendas, ou até mesmo situações de rua, para simular locais onde as crianças costumavam brincar. “As academias devem, ao invés de criar espaços personalizados como boxes, pensar em espaços para as crianças interagirem com outras crianças, com brincadeiras que ajudem no seu desenvolvimento.” Ouça no link acima a íntegra da coluna do professor Paulo Roberto Pereira Santiago.

Por: Thainan Honorato

 

 

Textos relacionados