Brasil tem as piores taxas de investimento em produtividade em 50 anos

Porcentagem é de 15,8% do PIB. O especialista Alvair Silveira Torres Júnior acredita que isso se relaciona à instabilidade política do País

Dados recentes do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) afirmam que o Brasil possui uma das taxas de investimento em produtividade mais baixas entre os países emergentes. Segundo levantamento, essa taxa é de 15,8%. Economistas afirmam que é preciso ter uma taxa de 25% acima do PIB para que o país consiga se manter bem em níveis econômicos e sociais.

O nível de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) também está em baixa e é um dos menores em 50 anos. Nela entram bens como máquinas, equipamentos e instalações para fábricas. Com essa taxa abaixo do ideal, o Brasil tem poucas possibilidades de renovar sua economia. Isso gera consequências graves como, por exemplo, não conseguir criar novos postos de trabalho, modernizar sua infraestrutura ou investir em tecnologias que sejam melhores para o meio ambiente. 

Mesmo assim, especialistas projetam a recuperação de alguns setores, como o do emprego formal, para 2022. Alvair Silveira Torres Júnior, professor do Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP, não é tão otimista assim. Ele acredita que a recuperação dos investimentos ainda demorará. O professor ainda alerta para o fato de que é mais importante centrar-se na qualidade dos projetos nos quais o dinheiro será investido.

Ouça a reportagem completa no player acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.