Brasil respira mais aliviado após viver risco institucional

Em sua coluna para a Rádio USP, André Singer fala sobre o cenário político pós-greve dos caminhoneiros

Greve dos caminhoneiros encerrada, o País, finalmente, voltou à normalidade. Resta, porém, chamar a atenção para o fato de que o Brasil viveu um grave risco institucional na semana passada, quando esteve à beira do caos e o governo dava mostras de não conseguir resolver o drama. “Cria-se aquilo que, em política, a gente chama de um vazio momentâneo”, diz o cientista político André Singer. Nesse quadro, podem surgir condições para um quadro de tomada de poder – por sorte, isso não aconteceu.

Segundo Singer, devemos cuidar agora para que o País consiga chegar às eleições e um novo governo seja eleito, mas um governo que tenha legitimidade para governar, o que não ocorre com o atual. De resto, deve-se torcer para que não surjam novas situações de emergência até as eleições que vêm aí. Por enquanto, ainda que admita ser uma análise precoce, Singer vê a candidatura de Jair Bolsonaro à frente das demais, num cenário em que a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva permanece indefinida.

“Não é possível dizer que, em virtude da greve dos caminhoneiros, essa candidatura (a de Bolsonaro) tenha ganhado mais apoio”, observa Singer, “mas, no mínimo, ela ganhou bastante notoriedade”, principalmente entre aqueles mais sensíveis a um discurso autoritário.

Ouça, no link acima, a análise completa do cientista político André Singer.

Textos relacionados