Brasil participa da construção do maior telescópio da história

João Steiner explica por que um projeto demorado, complexo e com alto custo como o GMT vale o trabalho e o investimento.

  • 9
  •  
  •  
  •  
  •  

Concepção artística do Telescópio Gigante de Magalhães – Imagem: GMTO Corporation

No início do mês, aconteceu na USP um curso sobre o GMT, o Telescópio Gigante de Magalhães, que é um grande consórcio científico internacional. O braço brasileiro desse projeto é coordenado pelo professor João Steiner junto com a professora Claudia Mendez, ambos do Departamento de Astronomia da USP .

O GMT vai ser construído no deserto de Atacama, no Chile, e será o maior telescópio da história quando ele entrar em operação. Ele irá vasculhar muito mais profundamente o espaço do que foi feito até agora, abrindo oportunidades de descobertas diferentes das que foram feitas até hoje.

A  inauguração está prevista para 2024, quando o telescópio deve enviar sua primeira luz, isto é, a primeira imagem da qual os cientistas poderão extrair dados e produzir novos conhecimentos.  Ouça em “Entender Estrelas” desta semana, clicando no áudio acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 9
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados