Brasil deve seguir princípio de não intervenção na Venezuela

Segundo Rubens Barbosa, as interferências continuam, mas podem comprometer questões importantes para o País

  • 23
  •  
  •  
  •  
  •  

A situação interna na Venezuela chega à fronteira brasileira. Apesar de o Artigo 4 da Constituição Brasileira instituir o princípio de não ingerência no exterior, os governos Lula e Dilma se envolveram em questões políticas, econômicas e eleitorais daquele país. Hoje, mesmo com uma presidência do outro lado do espectro ideológico, as interferências continuam.

O conflito se internacionaliza e o Brasil segue as posições dos Estados Unidos e do Grupo de Lima. No entanto, para o embaixador Rubens Barbosa, o governo deveria “deixar de lado a ideologia e defender o interesse brasileiro de não intervenção militar”. Barbosa diz que o País precisa evitar a política agressiva que o governo americano procura impôr, já que o envolvimento na crise venezuelana compromete questões políticas, estratégicas, econômicas, comerciais e de defesa brasileiras.

Ouça, no link acima, a coluna Diplomacia e Interesse Nacional.

  • 23
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados