Brasil continua pagando a conta da energia subutilizada pelos paraguaios

“A declaração de energia consumida pelo Paraguai é distorcida”, afirma Rubens Barbosa

Nesta edição, o professor Rubens Barbosa analisa o acordo assinado entre Brasil e Paraguai por conta do fornecimento de energia de Itaipu, que acabou gerando uma crise política paraguaia. Barbosa declara que a situação é complicada porque advém da forma como o Paraguai paga ao Brasil a energia consumida. “Essa declaração não corresponde à energia consumida por eles. Há uma distorção. É declarado um consumo abaixo do que realmente ocorre. Essa conta distorcida é paga pelo consumidor brasileiro”, aponta o professor.

A energia de Itaipu é dividida na proporção de 50% para cada um dos dois países. O Paraguai consome somente 15% e o restante precisa ser vendido necessariamente da Itaipu para a Eletrobras. “A correção negociada é justa”, explica Barbosa, “no entanto, o resultado da negociação gerou o cancelamento do acordo, ou seja, o custo continua em cima do Brasil. O acordo precisa ser renegociado. O Brasil não pode continuar a pagar essa conta com os dados subdeclarados pelo lado paraguaio”, pontua.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Diplomacia e Interesse Nacional.


Diplomacia e Interesse Nacional
A coluna Diplomacia e Interesse Nacional, com o professor Rubens Barbosa, vai ao ar toda terça-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.