Biólogo afirma que queimadas ampliam degradação da Floresta Amazônica

Segundo Divino Vicente Silvério, pesquisador do IPAM, árvores maiores são as mais afetadas e morrem em até quatro anos após incêndio

O programa Ambiente É o Meio desta semana, 24 de abril, traz entrevista com Divino Vicente Silvério, pesquisador do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM). O biólogo fala sobre os impactos de tempestades de vento que ocorrem na Floresta Amazônica.

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) e doutor em Ecologia pela Universidade de Brasília (UnB), Silvério afirma que as tempestades de vento ocorrem naturalmente na floresta, porém ações dos homens na natureza aumentam a frequência dos eventos. Cita as queimadas como exemplo de distúrbios provocados pelos seres humanos que, aliados aos efeitos dessas tempestades,  “amplificam os efeitos de degradação sobre a floresta”.

Deslocamentos florestais em uma parte da Amazônia podem desencadear mudanças de difícil previsão em outras áreas – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

O biólogo relata que realizou pesquisa em um campo de 150 hectares de floresta. Em 100 hectares foram produzidas queimadas experimentais de 2004 a 2010; o restante foi utilizado como área de controle. Em 2012, sua equipe retornou ao campo de experimento para avaliar as árvores queimadas e as características que favoreceram essa degradação. “Enquanto na área controle tivemos uma parcela de 8% das árvores danificadas, nas áreas queimadas, cerca de 17% das árvores foram afetadas pelo fogo. Em termos de biomassa, nas áreas queimadas tivemos uma perda muito maior, pois as árvores maiores que estocam maiores quantidades de carbono foram as mais afetadas”.

Ambiente É o Meio é uma produção da Rádio USP Ribeirão Preto em parceria com professores da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP e Programa USP Recicla da Superintendência de Gestão Ambiental (SGA) da USP.

Sintonize Ambiente É o Meio em 107,9 MHz na Rádio USP Ribeirão ou em 93,7 MHz na Rádio USP São Paulo todas as quartas-feiras a partir das 13 horas. Reprise aos domingos, às 17h30, nas duas emissoras.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.