Bioenergia pode ser boa alternativa contra aquecimento global

Para José Goldemberg, a ênfase nesse tipo de combustível é favorável para países como o Brasil

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um relatório recente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas destaca a importância de serem adotadas medidas para impedir que a temperatura global aumente dois graus nos próximos anos. Entre as medidas possíveis estaria o incremento do uso das energias limpas – com destaque para a bioenergia moderna –, que inclui os biocombustíveis líquidos produzidos a partir das plantas, biogás produzido por digestão  anaeróbia e sistemas de pellets de madeira.

Em sua coluna desta semana, o professor José Goldemberg comenta esse quadro e lembra que as bioenergias são favoráveis para países tropicais, entre eles o Brasil. “Nos trópicos, as árvores crescem mais rápido. Na Suécia, grande produtora de papel, as árvores levam 30, 40 anos para crescerem. Um eucalipto no Brasil cresce em menos de cinco”, ele lembra. “Era uma visão eurocêntrica, que não notava a importância dos biocombustíveis. Mas trabalhos de pesquisadores brasileiros, entre outros, levaram a Agência Internacional de Energia a rever essa posição”, o professor completa.

Ouça a coluna na íntegra clicando no player acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados