Beta Alanina para melhorar desempenho de atletas é questionável

Substância presente no corpo humano e atualmente na suplementação de atletas não é eficaz para desenvolvimento muscular

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Nesta semana, o professor Paulo Roberto Santiago apresenta, em sua  coluna Ciência e Esporte, um trabalho recém publicado que avaliou a eficácia da Beta Alanina como meio de suplementação para jogadores de polo aquático.

Santiago explica que a Beta Alanina é um aminoácido, produzido de maneira natural pelo corpo humano e que atualmente vem sendo usado constantemente por atletas amadores e profissionais. E conta que “ela não auxilia na construção dos músculos, mas participa do processo de síntese de proteína, que tem um papel importante para a produção da carnosina, substância que contribui para evitar fadiga muscular.”

Ao falar do trabalho, o professor conta que foi verificado o efeito da suplementação durante quatro semanas sobre o desempenho aeróbico dos atletas. E diz que, geralmente, as promessas feitas ao consumir esta suplementação são de uma melhora no desempenho e uma redução na fadiga. “Entretanto, este consumo gera uma grande contradição, afinal existem trabalhos que mostram melhora no desempenho e outros já não.”

Santiago conta que os resultados obtidos pelo estudo “foram mistos, pois houve atletas que consumiram cápsulas com a substância e não apresentaram melhoras, e outros, já sim, da mesma forma o grupo controle.” E alerta que, mesmo sendo um aminoácido importante para algumas funções do organismo, os estudos demonstraram que alguns voluntários apresentaram melhora, outros não tiveram mudanças e ainda em alguns casos houve queda no desempenho.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Ciência e Esporte.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados