Base familiar na juventude é primordial para a formação de atletas

Ao escolher ir para um clube em outra cidade, a família deve preparar o jovem tanto perante a lei quanto em sua formação psicológica

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Em toda escola, nas aulas de educação física, sempre há aquele que se destaca. Em alguns casos, jogando bola, em outros, nadando, ou até mesmo nas competições de corridas na hora do intervalo. Entretanto, o fato é que muitos desses jovens, com o passar do tempo, acabam sonhando em se tornar atletas de elite. Mas, para atingir esse sonho, em alguns casos é preciso ir para outra cidade ou até mesmo para outro país em busca do sucesso no esporte.

Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O professor Gustavo Assed, da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FDRP) da USP e especialista em leis esportivas, conta que, “por se tratar de um menor de idade, é necessário uma autorização dos responsáveis” e lembra que, independente do sonho, o papel da família para esses jovens é primordial, e cabe aos responsáveis analisar o que vale mais a pena.

Para o pesquisador e psicólogo do esporte, Rodrigo Salomão, “o acompanhamento psicológico desse jovem que está indo para um clube distante de sua casa e de sua família é extremamente importante. E vai ajudar a entender tudo o que está em jogo, o que ele pode ganhar ou perder”.

Segundo os especialistas, a família deve se embasar em dois preceitos, um de que a lei existe para proteger, e outro que a preparação mental desse jovem é primordial, principalmente quando há o auxílio dos familiares.

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados