Banco Central emperra crescimento

A opinião é do professor Gilson Schwartz, que analisa decisão do Banco Central de manter a taxa de juros inalterada

  • 21
  •  
  •  
  •  
  •  

Na semana passada, o Banco Central decidiu manter inalterada a taxa básica de juros. Enquanto o debate político está voltado para a Reforma da Previdência, poucos têm feito soar o alarme. Com essa política de juros, o “guardião da moeda” na prática emperra o crescimento, tornando ainda mais lenta a retomada.

Com inflação em queda, desemprego ainda elevado e um consenso evidente sobre a queda do “risco Brasil”, manter a taxa de juros estável equivale a aumentar o seu valor real, além de evidenciar mais uma área em que o governo Bolsonaro começa mal.

Acompanhe o comentário completo do colunista Gilson Schwartz no link acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 21
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados