Bairros periféricos de São Paulo apresentam os maiores índices de mortalidade infantil

O mapa da desigualdade mostra que as áreas mais afastadas do centro da cidade são as que mais favorecem as condições ambientais determinantes para os índices de mortalidade infantil

A desigualdade social registrada na cidade de São Paulo, principalmente nos bairros mais periféricos, aponta que as crianças são as que mais sofrem. São afetadas áreas como educação, saúde, qualidade de vida, reduzindo de forma significativa as chances de uma vida melhor para os pequenos. A especialista  em  desenvolvimento infantil e pediatra Filumena Gomes, do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, explicou para a repórter Sandra Capomaccio o mapa da desigualdade na capital, e como o aleitamento materno pode ajudar  a reverter esse quadro, pelo menos no que diz respeito à saúde. Só para se ter uma ideia, em 22 Estados, mais de 43% da população não tem coleta de esgoto.
Acompanhe a matéria, na íntegra, pelo link acima.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.