Autonomia institucional é indispensável ante opiniões divergentes

Procuradoria Geral da República precisa estar acima de interesses partidários

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

 

Segundo o professor da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FD-RP) da USP, Rubens Beçak, a Procuradoria Geral da República deve ter  autonomia para enviar denúncias, independentemente da opinião de ministros do STF.

Ele explica como a Constituição de 1988 separou funções dentro do Judiciário. O professor esclarece a forma como é feita a escolha do Procurador Geral da República, com o intuito de garantir um profissional de qualidade no cargo.

Além disso, para  Beçak, a revisão de delações deve ser realizada de forma cautelosa, levando em conta o que foi revelado através dos depoimentos negociados com o Ministério Público.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados