Carros autônomos seriam estímulo para individualidade

Luli Radfahrer imagina um possível cenário para um futuro de veículos sem motoristas

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Imagine um mundo em que há carros autônomos rodando nas ruas das cidades — à venda e disponíveis para a população. Nesta semana, o professor Luli Radfahrer convida os ouvintes para pensar em um futuro distópico, em que cada pessoa está presa no trânsito dentro do próprio carro. Só que isso não é exatamente um problema, porque carros sem motoristas podem ser agora um espaço de lazer.

Segundo o colunista, é certo que a existência de carros autônomos poderia tornar as cidades mais limpas e seguras. Mas isso também provocaria mudanças no estilo de vida, com pessoas mais sedentárias e sozinhas. “Um modo de pensar mais individualista é muito bom para as empresas, só que muito ruim para o planeta, que teria mais pessoas solitárias e uma quantidade de lixo eletrônico sem paralelo”, diz Radfahrer.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados