“Ainda não é o momento para tirar as máscaras e manter encontros”

A afirmação é de Gonzalo Vecina Neto ao analisar a cobertura vacinal no País, que, em sua opinião, ainda está longe do ideal, já que a realidade em São Paulo não é a mesma da de outros Estados da União

 12/01/2022 - Publicado há 7 meses
Por

A questão da logística não é exclusiva do Brasil, mas de diversos países no planeta – Fotomontagem: Moisés Dorado/Jornal da USP

Professor Gonzalo Vecina Neto – Foto: Reprodução

A vacinação contra o novo coronavírus avança de forma positiva no Brasil, mas o fato é que os números que são registrados no Estado de São Paulo, por exemplo, não são os mesmos de outras regiões do País, que enfrentam problemas logísticos para conseguir imunizar a população. É o que acontece em pelo menos oito Estados, parte deles na região Norte, onde a vacinação está abaixo dos 50%. 

O professor Gonzalo Vecina Neto, médico sanitarista do Departamento de Política, Gestão e Saúde da Faculdade de Saúde Pública da USP, diz que a questão não são as vacinas, mas a dificuldade em fazer a imunização. A questão da logística não é exclusiva do Brasil, mas de diversos países no planeta. O mundo também enfrenta “apagões” nesse sentido, como o Haiti, que tem apenas 2% de vacinados, apesar de a vacina já ter sido aplicada em 8 bilhões de pessoas.

Professor Esper Kallás – Foto: Reprodução

 

Recente relatório divulgado pelo professor Esper Kallás, da Faculdade de Medicina da USP, faz um balanço da atual situação das vacinas no mundo.  O professor Gonzalo Vecina diz que “existem pelo menos 105 vacinas em testes clínicos e outras 194 em fase de desenvolvimento laboratorial”, avalia. Ele explica que o Incor também desenvolve uma vacina contra a covid-19 já em estágio avançado com a produção de imunoglobulina A. 

 

 Vacinas com prazo de validade maior

A professora Ester Sabino,  pesquisadora do Departamento de Moléstias Infecciosas da Faculdade de Medicina da USP, imunologista que participou do sequenciamento do novo coronavírus no Brasil, complementa que “a busca por vacinas mais baratas e com prazo de validade maior são o alvo  dos cientistas neste momento”. 

Professora Ester Sabino – Foto: Almir Robson Ferreira/USP Imagens

As dúvidas sobre o futuro das vacinas ainda são muitas. Por isso, os estudos continuam para responder perguntas que estão sem respostas, como a vacinação de grávidas e a validade desses imunizantes. 

O professor Gonzalo Vecina alerta que “ainda não é o momento para tirar as máscaras e manter encontros. Uma cobertura vacinal alta é de 80% e ainda estamos longe disso. É preciso também vacinar nossas crianças a partir dos cinco anos “, finaliza.

 

 

 


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.