Valorização dos professores demanda articulação da classe

Para especialista em Educação, gravidade da situação requer medidas capazes de modificar o cenário nacional

  • 19
  •  
  •  
  •  
  •  

jorusp

Segundo pesquisa “Profissão Docente”, iniciativa do Movimento Todos Pela Educação, metade dos professores não recomendam a própria profissão. Doutor em Filosofia da Educação, docente da Faculdade de Educação da USP, o professor Nilson José Machado destaca ao Jornal da USP no Ar a importância da mobilização de todos os professores na criação de iniciativas para superar a situação da profissão.

A formação continuada (69%) juntamente com a escuta dos docentes na formulação de políticas educacionais (67%) foram as reivindicações mais citadas para valorização dos professores entre os 2160 entrevistados da Educação Básica. Para Machado, aprendizado constante é necessário e pode ser adquirido através de filmes e viagens, por exemplo, não apenas em sala de aula. Quanto à participação dos docentes, o professor comenta sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que ignorou os currículos estaduais já existentes para sua elaboração.

A terceira medida mais mencionada é a necessidade da retomada da autoridade e a falta de respeito à figura do professor (64%). Nilson José Machado afirma que a responsabilidade e organização acompanham a autoridade. Quando os três pilares atuam de forma conjunta é possível que a postura dentro do ambiente escolar se modifique. Além disso, o aumento salarial também é ponto importante apresentado na pesquisa, citado por 62% dos entrevistados. O professor destaca que as medidas para maior valorização precisam ser vistas em conjunto, o que mostra a péssima condição de trabalho desse profissional.

Por fim, Machado revela a importância de os professores atuarem em conjunto, independente de trabalharem no setor público ou privado. A realização de pesquisas oferece dados, mas para modificar as estatísticas os docentes precisam se reunir para construir medidas capazes de modificar o cenário nacional. Isso também não deve ser tarefa apenas dos docentes da Educação Básica, é responsabilidade de todos os níveis de ensino. A gravidade da situação requer uma articulação de todos.

Jornal da USP no Ar, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93,7, em Ribeirão Preto FM 107,9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Ouça, no link acima, a íntegra da entrevista.

  • 19
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados