No “Pílula Farmacêutica”: Anticoncepcional durante a amamentação

Muitas mulheres ficam em dúvida se devem utilizar a pílula anticoncepcional após o parto

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As novas mamães geralmente ficam em dúvida sobre o uso de anticoncepcionais após a gestação por conta da recomendação dos médicos para que ocorra o intervalo, de pelo menos um ano, até a próxima gravidez.

Dentre os vários tipos de pílulas anticoncepcionais disponíveis, há aquelas que não devem ser utilizadas, pois prejudicam a amamentação, mas há também as que são seguras e podem ser utilizadas. As mulheres não devem usar as que associam os hormônios etinilestradiol com um progestogênio, pois suspendem a produção do hormônio prolactina, que produz o leite.

Os anticoncepcionais com hormônio progestogênio são eficazes na contracepção e não prejudicam o aleitamento materno, por isso eles são os mais indicados. Porém, o uso deve começar somente 40 dias após o parto. Além da pílula anticoncepcional, a mulher também pode utilizar o dispositivo intrauterino, DIU. Entretanto, a mulher deve sempre procurar o médico para saber qual método contraceptivo é o mais indicado para ela.

O boletim Pílula Farmacêutica é apresentado pelos alunos de graduação da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP com supervisão da professora Regina Célia Garcia de Andrade. Trabalhos técnicos de Luiz Antonio Fontana. Ouça, no link acima, a íntegra do boletim.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados