Gestantes podem usar medicamentos com orientação médica

Para os enjoos e resfriados a automedicação não é indicada

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Na primeira edição do Pílula Farmacêutica desta semana, o assunto ainda são as gestantes e os medicamentos. Algumas gestantes podem apresentar problemas de saúde, característicos ou não da gestação. Quando esses problemas de saúde se agravam podem colocar em risco a gravidez ou a própria vida da gestante. Nos casos mais extremos, a medicação é indispensável, pois a falta de tratamento proporciona mais riscos do que o uso.

Doenças mais graves, como a infecção urinária, por exemplo, podem levar a um parto prematuro, caso não sejam tratadas. Já a hipertensão, se não controlada, pode causar retardo no crescimento do embrião ou também um parto prematuro. As infecções são tratadas com antibióticos, porém na gravidez existem restrições para o seu uso.

Nos enjoos, a indicação é evitar comida gordurosa e dar preferência a alimentos gelados. Além disso, a acupuntura pode também ajudar em alguns momentos da gravidez. Em todas as situações, entretanto, o médico deve ser consultado. A automedicação não está indicada.

O boletim Pílula Farmacêutica é apresentado pelos alunos de graduação da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP com supervisão da professora Regina Célia Garcia de Andrade. Trabalhos técnicos de Luiz Antonio Fontana. Ouça, no link acima, a íntegra do boletim.

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados