Faltam informações sobre alimentos transgênicos

Literatura aponta que alimentos transgênicos não causam mal à saúde, mas desinformação gera controvérsia sobre consumir ou não determinado alimento

  • 9
  •  
  •  
  •  
  •  

O Saúde sem Complicações desta terça-feira, 6 de novembro, traz o professor de Toxicologia e Química Clínica, Daniel Junqueira Dorta, do Departamento de Química da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, para falar sobre alimentos transgênicos.  

O professor conta que a ideia de mudar o alimento já é algo antigo. “O homem via algumas características das plantas e selecionava aquelas que tinham melhores características e resistência ao sol, por exemplo.”

Dorta lembra que, “por volta dos anos 70, os processos foram acelerados, com a utilização da mudança genética das plantas. Algumas técnicas desenvolvidas começaram a possibilitar a modificação de características da planta, tornando-as, em alguns casos, resistentes a pragas”.

O professor ressalta que, devido à falta de informações sobre os alimentos transgênicos, a população acredita que, por terem sido feitas mudanças no DNA da planta, essa pode fazer algum mal quando consumida. “Na literatura, não há trabalhos que comprovem que possa trazer algum efeito maléfico, lembrando que esses alimentos estão no mercado há mais de 20 anos.”

Por estar mais presente no cotidiano da população, o governo criou uma lei que obriga as empresas alimentícias a colocarem nos rótulos se os alimentos são transgênicos. “Esta obrigatoriedade é mais pelo sentido do consumidor ter a opção de escolher se quer ou não consumir um alimento desse tipo, tendo em vista que ele não tem efeito negativo para o organismo.”  

Mesmo ainda não sendo comprovado seu malefício, Dorta lembra que, quando se mexe em um ecossistema, surge uma preocupação também com o meio ambiente: “Quando um alimento fica mais resistente a uma praga, este inseto acaba desaparecendo naquela área e isso de alguma forma pode mexer com a cadeia alimentar. Ele deixa de ter seu alimento e, se ele era alimento de um outro predador, acaba mexendo com a cadeia alimentar.”       

O Saúde Sem Complicações é produzido e apresentado pela locutora Mel Vieira, com trabalhos técnicos de Mariovaldo Avelino e Luiz Fontana. Direção: Rosemeire Talamone.

Toda a população está convidada a participar do Saúde sem Complicações, tirando dúvidas sobre saúde ou encaminhando sugestões de assuntos para novas discussões pelo e-mail imprensa.rp@usp.br. Acompanhe pela Rádio USP de Ribeirão Preto, em 107,9 MHz, e na Rádio USP SP, em 93,7 MHz, toda terça-feira, às 13h00. Também nas duas emissoras, reprise aos domingos, a partir das 17h00 horas.

  • 9
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados