Atual governo causa incerteza para a economia

O governo tem se mostrado inexperiente nas relações e articulações políticas, e isso não pode ser dissociado do sucesso das reformas

  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  

Na coluna Reflexão Econômica desta semana, o professor Luciano Nakabashi faz uma análise sobre as notícias políticas das últimas semanas e da preocupação da capacidade do atual governo federal em tocar reformas importantes.

Segundo Nakabashi, o governo tem se mostrado inexperiente nas relações e articulações políticas, e isso não pode ser dissociado do sucesso das reformas. Em termos de expectativas, o que pode ser observado são oscilações na taxa de câmbio e na bolsa de valores e pode ser apenas uma prévia do que pode acontecer caso o governo não aproveite o momento para reverter o quadro.

As consequências estão relacionadas diretamente com a economia e, segundo o professor, uma questão grave no Brasil e que explica as crises de 2015 e 2016 e a fraca recuperação é a questão do aumento da dívida do governo em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), relacionado ao grande déficit que se tem.

Para o professor, a incerteza se o governo vai suprir essas dívidas paralisa investimentos, principalmente o externo, e a economia não consegue retomar as atividades de forma mais vigorosa; isso não vai acontecer se não houver reformas que resolvam essa questão fiscal.  

“O Brasil precisa de uma reforma fiscal, uma reforma tributária, o sistema tributário é muito complexo, precisa facilitar para o investidor, reduzir o custo do Brasil investindo em infraestrutura. Precisa cuidar, também, da parte que a gente percebe, essa grande resistência em termos de corrupção e punição”, afirma. Para Nakabashi, nada disso se torna possível se o governo não tiver articulação, habilidade política e um governo de coalizão. 

Ouça acima na íntegra a coluna Reflexão Econômica.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 5
  •  
  •  
  •  
  •