Astrônomos encontram “superbolhas” nucleares em galáxia espiral

Tudo indica que essas estruturas gigantes, com apenas partículas muito energéticas no seu interior, tiveram origem no buraco negro supermassivo que há no centro da galáxia

  • 53
  •  
  •  
  •  
  •  

Uma pesquisa utilizou dados do Observatório de Raios-X Chandra, da Nasa, para explicar o que acontece em bolhas nucleares gigantes observadas em uma galáxia espiral que fica a 67 milhões de anos-luz de nós, a NGC 3079. O estudo sugere que elas funcionam como um enorme acelerador de partículas cósmicas.

Nesta edição de sua coluna, João Steiner explica o que são essas superbolhas e como teriam se formado. O astrofísico do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP conta que também há indícios de estruturas semelhantes aqui na Via Láctea.

Ouça em Entender Estrelas – clique no player acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 53
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados