As relações nem sempre harmoniosas entre democracia e economia

Para o professor Gilson Schwartz, é preciso revisar as relações entre democracia, política e economia no Brasil

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

“A democracia é algo positivo para a própria economia, é sustentável, ou é algo que conduz a uma desordem e a uma crise econômica ainda mais profunda, inclusive com muita corrupção?” São perguntas que o professor Gilson Schwartz faz em seu retorno à coluna “Iconomia”. Ele acredita que se trata de um tema que exige muita reflexão, principalmente em um ano em que as urnas esperam pelos votos de todos os brasileiros.

Alguns estudiosos já apontaram a importância da democracia para a boa organização da economia e para o próprio desenvolvimento econômico, assim como para a superação das desigualdades. No entanto, fortaleceu-se muito o discurso de que a democracia gera corrupção, o que, na prática, impediria não só o desenvolvimento econômico como aumentaria a desigualdade. Ao afirmar que “na crise econômica a democracia entra em crise também”, o colunista propõe a implantação de uma Constituinte Econômica, que teria o objetivo de revisar as relações entre democracia, política e economia no Brasil.

 

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados