As melhores linhas do tempo sobre História da Arte da Internet

Das artes visuais ao rock, há referências que garantem uma boa pesquisa, além de horas de deleite on-line

A qualidade das informações na Internet tem gerado muita polêmica. Porém, há projetos sérios que trazem referências importantes para pesquisas em diversas áreas do conhecimento. Em sua coluna da Rádio USP, Giselle Beiguelman, artista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, apresenta uma seleção de linhas do tempo, com destaque para a História da Arte, nos mais variados campos de expressão, das artes visuais à música.

“Começo por um projeto, o Historiography, que se destaca pela forma como trabalha com camadas superpostas de informação”, observa. “Permite visualizar vários eventos que aconteceram em um período determinado, segmentar um evento e ver os que estão a ele relacionados ao longo da história, detalhar um acontecimento específico, ou escolher um tema, como artes, arquitetura, música, entre outros, e definir os recortes temporais para navegar.”

No campo da literatura e dos livros, a professora aponta a linha do tempo da British Library, que tem como marco inicial o ano 1000 e vem até os dias de hoje. Outra linha do tempo é a dos 100 Anos do Rock. “Esse projeto não apenas fornece os nomes e as datas de nascimento de cada estilo, mas também oferece suas genealogias e exemplos musicais.”

Na avaliação de Giselle Beiguelman, a linha do tempo do Metropolitan Museum de Nova York é a mais completa. A partir do seu acervo, compõe uma verdadeira enciclopédia visual da História da Arte, combinando ensaios críticos, cronologias e fotos de obras. As mais antigas remontam ao ano 8000 a.C e as mais recentes chegam ao século 21. É possível navegar por região geográfica, por período, por estilo, técnica e por tema das obras.

No Brasil, aponta a linha do tempo do site da Brasiliana Iconográfica. Reúne desenhos, aquarelas, pinturas, gravuras e impressos dos acervos da Fundação Biblioteca Nacional, Instituto Moreira Salles, Pinacoteca de São Paulo e Instituto Itaú Cultural. “Ao acessar a linha do tempo, é possível ter a noção da dimensão da riqueza do portal. Além de informações detalhadas sobre as diferentes obras, contextualizá-las historicamente e avançar para outras formas de pesquisa, cruzando temas, acervos e locais retratados, entre outras categorias”, ressalta.

Ouça a íntegra da coluna clicando no player acima. Acesse informações mais detalhadas e os links em: www.desvirtual.com

Textos relacionados