As cores vistas dependem da genética e do ambiente

Imagens virais na internet geram curiosidade sobre a percepção das cores

Na coluna Fique de Olho desta semana, o professor Eduardo Rocha fala sobre as populares imagens que surgem nas redes sociais, em que cada indivíduo enxerga uma cor diferente. Como foi o caso da polêmica foto de um vestido, viralizada em 2015, em que algumas pessoas enxergavam sua cor como preto e azul e outras branco e dourado.

O professor explica que a cor é uma representação dividida em dois aspectos. A primeira é o conceito físico, na qual a cor é o reflexo da luz sobre um objeto, e assim um determinado comprimento de onda pode definir a sua coloração. Já a segunda tem um caráter subjetivo, que depende da percepção das cores de cada um, influenciada geneticamente ou pelo ambiente.

Rocha ainda aponta que existem estudos que avaliam a percepção de cores de artistas plásticos e fotógrafos, em que é possível perceber que estes têm uma maior sensibilidade para identificar e combinar as cores. Portanto, na prática, a cor enxergada por cada um é um conceito subjetivo.

Ouça acima, na íntegra, a coluna Fique de Olho, com o professor Eduardo Rocha.


Horizontes do Jornalismo
A coluna Horizontes do Jornalismo, com o professor Carlos Eduardo Lins da Silva, vai ao ar toda segunda-feira às 9h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção  do Jornal da USP e TV USP.

.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.