As afinidades existentes entre a música popular e a arquitetura no Brasil

Esse tema foi debatido em evento realizado em Portugal, na Casa da Arquitetura

Na coluna desta semana, o professor Guilherme Wisnik comenta sobre a relação existente entre música popular e arquitetura no Brasil. O tema foi debatido na Casa da Arquitetura, no Porto, em Portugal, durante um dos eventos paralelos da exposição Infinito Vão, que tem a curadoria do próprio Wisnik. Juntamente com seu pai, o professor aposentado do Departamento de Letras da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, José Miguel Wisnik, o arquiteto mostrou a relação entre letra e melodia e entre música e arquitetura, interpretando canções da MPB.

A proposta incide no fato de o Modernismo ter como traço fundamental a ideia metalinguística, também presente na arquitetura desse período, com estruturas à mostra e retirada dos ornamentos. Na bossa nova, segundo Wisnik, esse momento de modernização aparece na combinação da batida do samba com as harmonias do jazz.

Para ouvir o comentário completo, acesse o link acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.