Aplicar a matemática na indústria é objetivo de centro de pesquisa

Diretor do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria diz que no Brasil a matemática é acadêmica

  • 10
  •  
  •  
  •  
  •  

jorusp

O Momento USP Inovação desta semana entrevista o professor José Alberto Cuminato, diretor do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), que comenta os objetivos desse centro de pesquisa, que é trazer um novo olhar para a área da matemática.

Cuminato fala sobre a ideia inicial do CeMEAI, que veio da constatação da matemática, no Brasil, sempre ser vinculada à academia. Para ele, isso acontece porque os programas de pós-graduação no País incentivam seus estudantes apenas a atuarem na área acadêmica. No entanto, é diferente nos países desenvolvidos, onde a área acadêmica está estagnada, o que faz com que a maioria de seus doutores trabalhe na indústria.

Arte sobre foto de Trey Ratcliff / Flickr – CC

Para Cuminato, as ciências matemáticas podem agregar valor a atividades da indústria e do comércio. Embora pareça haver uma disputa entre matemáticos e engenheiros, ele afirma que o matemático é mais objetivo e os dois acabam sendo profissionais que se complementam. Além de mostrar à indústria a utilidade da matemática e levar a prática à academia, o CeMEAI incentiva que cursos de pós-graduação permitam a seus estudantes estagiar em indústrias.

Este centro é dividido nas áreas de análise de risco, mecânica dos fluidos computacional, inteligência computacional e otimização e pesquisa operacional. Porém, Cuminato enfatiza que os problemas na indústria geralmente são interdisciplinares, o que faz com que a tarefa do CeMEAI seja de inter-relacionar todas essas áreas.

Jornal da USP no Aruma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93,7, em Ribeirão Preto FM 107,9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

  • 10
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados