Apesar da queda da Selic, crédito continua caro no Brasil

Alta taxa de desemprego e calote de empresas aumentam o risco de empréstimos bancários

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn1Print this pageEmail

Segundo José Nicolau Pompeo, professor de MBA da Escola Politécnica (EP) da USP, a diminuição da taxa Selic não vai refletir uma melhora na economia. Ele explica que o alto índice de desemprego causou a queda da inflação. No entanto, isso também aumenta o risco de empréstimos bancários, tanto para pessoas físicas quanto para empresas. Assim, o consumo diminui e a economia não tem uma retomada.

Foto: Montagem/Visual Hunt

Para o professor, a recuperação não acontecerá em 2017 e o cenário para o ano que vem depende das condições internas e externas. Ele explica que o País deve sofrer internamente com um conturbado ano eleitoral. Enquanto isso, os Estados Unidos dão  sinais de menor crescimento econômico, o que deve levar ao aumento da taxa de juros norte-americana, impactando a economia do Brasil.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn1Print this pageEmail

Textos relacionados