Antibióticos diminuem a eficácia de anticoncepcionais

Recomenda-se que, ao realizar o tratamento com antibióticos, outros métodos contraceptivos sejam utilizados

O primeiro boletim Pílula Farmacêutica desta semana fala sobre a diminuição da eficácia de anticoncepcionais pelos antibióticos e porque isso acontece.

Os antibióticos, medicamentos usados para combater infecções, destroem a microbiota intestinal, mais conhecida por flora bacteriana, e ela é de suma importância para o anticoncepcional surtir os efeitos desejados.

Algumas dessas bactérias que habitam o intestino são responsáveis pela reativação do estrogênio, hormônio cuja ação está relacionada com o controle da ovulação. Isso ocorre porque a pílula vai para o estômago e é absorvida pelo trato gastrointestinal; depois disso, cai na corrente sanguínea, indo para o fígado, órgão responsável pela metabolização do remédio.

Assim, sem o trabalho das bactérias não há a produção da enzima que reativa o estrogênio, que acaba sendo eliminado do corpo e, dessa forma, a mulher pode ficar “desprotegida” e engravidar.

Ao realizar o tratamento com antibióticos, recomenda-se que, mesmo tomando a pílula diariamente, deve-se usar um método anticoncepcional de barreira, como uso de preservativos, e continuar utilizando por pelo menos uma semana após a interrupção do remédio.

Ouça acima, na íntegra, o boletim Pílula Farmacêutica.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.