Anemia Perniciosa, doença autoimune causada pela deficiência de vitamina B12

Guilherme Fonseca diz que a moléstia pode causar fraqueza, mal estar e intolerância aos esforços e tende a surgir a partir dos 60 anos, com o envelhecimento da população

 13/01/2022 - Publicado há 11 meses  Atualizado: 20/01/2022 as 14:55
Por
Quando não identificada corretamente, a doença pode causar alterações crônicas cardíacas, respiratórias, neurológicas e psiquiátricas semelhantes à demência – Foto: Pixabay

Anemia perniciosa, um subtipo da anemia megaloblástica, caracteriza-se pela deficiência de vitamina B12, que não é absorvida pelo organismo. Formigamento e dificuldades para andar podem acometer o portador da doença. Guilherme Fonseca, médico hematologista do Departamento de Hematologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, explica que essa é uma doença autoimune na qual “você tem anticorpos que atacam as células parietais e causam a gastrite atrófica e levam à diminuição do fator intrínseco e à deficiência da vitamina B12.” Apesar de uma predisposição familiar, essa não é uma doença puramente genética. Entre as doenças autoimunes que podem contribuir para o problema, estão a diabetes do tipo 1, vitiligo e as que afetam a tireoide. É necessária uma exposição ambiental para disparar a genética do indivíduo propenso a essa deficiência. Seu diagnóstico é feito com base nas dosagens sanguíneas de ácido metilmalônico e homocisteína, que se encontram elevadas em 98% dos casos. 

Guilherme Fonseca – Foto: Reprodução

Os sintomas podem ser os mais variados. A anemia pode causar fraqueza, mal estar e intolerância aos esforços. Já a falta da vitamina B12 pode ocasionar alteração da mucosa, chamada de língua lisa, na pele e neurológicas, como formigamento das mãos, dos pés e desequilíbrio.    A deficiência do fator intrínseco é a responsável pela  falta de vitamina B12. O fator intrínseco é uma molécula produzida pelo estômago que protege a vitamina B12 da degradação e permite que ela seja absorvida no final do intestino delgado.

Como prevenir

Alguns aspectos podem impedir a absorção da vitamina, como gastrite atrófica, retirada ou desvio do estômago por cirurgia bariátrica e alterações dietéticas. No entanto, é possível, através de uma reposição periódica da vitamina, prevenir a deficiência, e,  no caso de alterações dietéticas, deve ser evitada a retirada muito extrema de carnes, ovos, leites e laticínios. Caso a pessoa seja adepta de alimentação vegana ou vegetariana, o ideal é conversar com o nutricionista para fazer uma reposição adequada. 

Quando não identificada corretamente, a doença pode causar alterações crônicas cardíacas, respiratórias, neurológicas e psiquiátricas semelhantes à demência. Fonseca lembra que “uma vez iniciado o tratamento de reposição, ele deverá ser feito por toda a vida através de injeção ou comprimidos; caso isso não seja feito, a doença pode voltar.” Mais comum a partir dos 60 anos de idade, a anemia perniciosa pode se tornar mais frequente com o envelhecimento da população.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 

 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.