“Anatomia Responde”: A fossa hipofisária abriga e protege a hipófise

Essa fossa isola a glândula hipófise e dificulta o acesso cirúrgico

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Nesta edição do Anatomia Responde, o professor Luis Fernando Tirapelli descreve uma das mais importantes sintopias, localizada no segmento cabeça, a relação entre a fossa hipofisária, que abriga a glândula hipófise e o seio esfenoidal.

Tirapelli explica que “a fossa hipofisária, ou sela turca, do esfenoide é uma depressão localizada na base central ou parte interna do crânio, o chamado corpo do osso esfenoide. Essa depressão abriga e protege a principal glândula endócrina, a hipófise. A fossa hipofisária é recoberta superiormente por revestimento de tecido conjuntivo, chamado diafragma da sela, uma das pregas da dura-máter intracraniana”.

Segundo o professor, a prega isola a glândula hipófise, dificultando o acesso cirúrgico a essa glândula e permitindo apenas a passagem de um prolongamento denominado infundíbulo, que conecta a hipófise superiormente com o tecido nervoso, em especial com o hipotálamo.      

O boletim Anatomia Responde é produzido pelo professor Luis Fernando Tirapelli da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP e pode ser conferido na íntegra no áudio acima.

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados