Alterações psicológicas afetam 30% das mulheres na menopausa

Estrogênio não é indicado indiscriminadamente para o tratamento dos sintomas que afligem as mulheres nesse seu ciclo de vida

A menopausa é a data da última menstruação da mulher. O estrogênio começa a diminuir e consequências desagradáveis podem ocorrer: osteoporose e atrofia genital são alguns desses sintomas. A menstruação pode alternar entre menor ou maior volume até se tornar mais escassa, o que mostra que está se chegando perto da menopausa. Os calores também fazem parte dessa mudança corporal.

Foto: Visual Hunt

Para minimizar esses sintomas, é indicado o uso de estrogênio, mas é preciso uma avaliação e acompanhamento médico, uma vez que nem todas as mulheres podem fazer uso desse hormônio. O médico José Maria Soares Júnior, chefe do Departamento de Ginecologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, cita que “algumas mulheres já tiveram tromboembolismo no passado e se utilizarem (o estrogênio) podem ter outros sintomas”. Outras mulheres correm o risco de apresentar sintomas cardiovasculares. E quem já teve câncer de mama e do endométrio também não pode usar estrogênio, a não ser com o acompanhamento de um profissional da saúde.

Boa parte das mulheres – cerca de 30% – pode apresentar sintomas psicológicos nessa fase. Muitas vezes, os sintomas não são só ocasionados pela menopausa e suas alterações hormonais, mas por problemas pessoais. Nesse caso, é necessário um acompanhamento psicoterapêutico, além de nutricional e medicamentoso.

Acompanhe, pelo link acima, a íntegra da entrevista.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.