Alimentação pobre em nutrientes causa mais mortes do que se imaginava

No ano de 2017, ocorreram cerca de 11 milhões de mortes associadas a fatores de risco dietéticos

Há muito tempo se sabe que a dieta alimentar afeta a saúde das pessoas. No entanto, não se tinha dimensão do impacto que uma alimentação inadequada pode ter na vida de alguém. Um estudo americano recente surgiu, então, como forma de evidenciar a importância da ingestão de comidas saudáveis.

Alexandre Faisal contou que, fazendo uso de um modelo matemático complexo, a pesquisa analisou essa relação entre consumo de alimentos nutritivos e mortalidade associada a doenças crônicas não transmissíveis (hipertensão, diabete etc.). E, entre as descobertas, concluiu-se que uma melhoria da dieta no mundo poderia impedir uma em cada cinco mortes.

O colunista finaliza dizendo que não se trata mais de condenar alguns tipos de alimentos, como a soja, o açúcar e as gorduras. É preciso acrescentar nas refeições grãos integrais, ácidos graxos, ômega 3 e outras comidas saudáveis, diz.


Saúde Feminina
A coluna Saúde Feminina, com o professor Alexandre Faisal, vai ao ar toda quinta-feira às 10h, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.