Afegãos fazem denúncia ao Tribunal Internacional Criminal

Segundo colunista da Rádio USP, cidadãos não acreditam que o governo local investigue casos

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em meio a tantas notícias ruins, a professora Marília Fiorillo traz, em sua primeira coluna do ano, uma história de coragem, altivez e esperança. A história contada é sobre Fátima, uma menina afegã de 17 anos que inspirou outros afegãos.

A professora destaca que, mesmo o Afeganistão sendo um país conhecido por sua instabilidade política, no final do ano passado, após uma série de ataques violentos ocorridos no país, a prefeita de Paris apagou as luzes da Torre Eiffel num gesto de solidariedade.

Fátima perdeu sua mãe num atentando do Talibã, grupo fundamentalista sunita particularmente violento para com as mulheres. A jovem, então, enviou ao Tribunal Internacional Criminal uma petição para investigar, por crimes de guerra, três perpetradores. Em sua petição, Fátima acusa o Talibã, o governo afegão e a CIA  (Agência de Inteligência norte-americana).

Ouça a história de Fátima no link acima.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados